domingo, 28 de setembro de 2014

[Mergulhei Fundo] - O Mundo de Vidro

Título: O Mundo de Vidro


Autor: Maurício Gomyde


Editora: Porto 71


Ano: 2011


Nº de páginas: 236


“Até onde pode ir a paixão de uma pessoa por outra? Como, quando e por que começa? Até que ponto pode-se cometer alguma loucura para fazer parte da vida de alguém? Quais as consequências da paixão avassaladora incompreendida?”.

Depois de ver muita gente elogiando a escrita do Maurício Gomyde, finalmente, tomei coragem para ler uma de suas obras. O livro já começa de um jeito bem engraçado. O prefácio é uma grande brincadeira. Uma tremenda enrolação. Gomyde faz piada com o fato de não fazer ideia de como escrevê-lo e vai levando com a barriga, enchendo linguiça. Dei risada com as coisas bizarras que ele escreveu. 

O Mundo de Vidro traz a história de um homem um tanto desengonçado, que se apaixona à primeira vista por uma mulher dentro de um metrô. A partir de então, ele muda alguns hábitos para tentar impressioná-la. Porém, ela só o enxerga como um grande amigo. Temos aí o famoso caso de amor não correspondido. 

"Pensou muito na cena e chegou à conclusão de que deveria ter havido um motivo, qualquer um, pra ter perdido o vagão que estava acostumado a pegar, e então ter a oportunidade de esbarrar a sua vida na dela". (p. 32)

Os primeiros capítulos podem parecer meio confusos, mas, aos poucos, vamos compreendendo o enredo. Para mim, a principal dificuldade foi me acostumar com a ausência de nomes dos protagonistas. Depois disso, a leitura fluiu com a força do humor, presente em grande parte da história. Um personagem peculiar, que me fez rir muito durante a leitura, foi o papagaio Horácio (que apesar do nome, é uma fêmea), e seus comentários hilários. 

"Cinquenta por cento da população daquele mundo (ela) representavam a beleza, a doçura, o carinho, a tranquilidade. Os outros cinquenta por cento (ele) representavam o desejo, a vontade, o fascínio pelos cinquenta por cento restantes (ela)". (p. 142)

O ponto alto da história começa quando a protagonista passa a receber e-mails anônimos com capítulos de um livro. Ela vai ficando cada dia mais ansiosa para receber novos capítulos e para descobrir quem está lhe escrevendo aquelas coisas tão bonitas. 

Eu recomendo a leitura para as pessoas que gostam de romances leves, com muito humor. A escrita de Gomyde é excelente. Espero não demorar tanto tempo para ler outro livro dele. 

E aí, o que acharam? Já leram O Mundo de Vidro? Deixem comentários. Abraços!



quarta-feira, 24 de setembro de 2014

#Resenha: "Assassinato na casa do pastor"

Título: Assassinato na casa do pastor

Autor(a): Agatha Christie

Ano de lançamento: 2012*

Editora: L&PM Pocket

Nº de páginas: 288


# A história

No pacato vilarejo de St. Mary Mead, não acontecia um assassinato há quinze anos. Um lugar onde o passatempo preferido dos moradores é tomar chá enquanto discutem a vida alheia. Nada passa despercebido. Qualquer coisa é motivo de comentários.

O pastor Clement gosta de aconselhar as pessoas e de fazer visitas. Por essas e outras, é muito respeitado entre os moradores. Um dia, ele recebe uma ligação, dizendo que alguém está com problemas de saúde e que a sua presença é muito importante. Sem hesitar, vai à casa do enfermo e descobre que ninguém dali fez a ligação para solicitar sua visita.

Desconfiado, ele volta para casa e tem uma terrível surpresa: há um corpo em seu gabinete. Entra em cena o arrogante inspetor Slack, para investigar o caso. Miss Marple, uma velhinha que gosta de jardinagem, também fica intrigada e revela que, pelo menos, sete pessoas teriam motivos para cometer aquele assassinato.

# Opinião

Livros de Agatha Christie com a Miss Marple são diferentes dos protagonizados por Hercule Poirot. A propósito, são personagens com traços distintos. Mas, em comum, ambos apresentam uma inteligência acima da média. Nesse livro, a observadora Miss Marple usa a sua experiência em analisar o comportamento das pessoas, para desvendar um crime, aparentemente, complexo.

No começo, durante uma conversa com as outras moradoras da aldeia, pode parecer que ela é maldosa e fofoqueira. Na verdade, seus comentários demonstram que a sua visão do mundo vai além do que os olhos das pessoas conseguem enxergar. Isso fica cada vez mais claro no decorrer do livro. De fato, Miss Marple sabe o que diz. E é claro que, pessoas como ela, nem sempre agradam a todos.

Quem narra a história é o próprio pastor Clement, um homem muito inteligente também, que acaba sendo um investigador secundário. Achei interessante a força do suspense no começo do livro. Eu já tinha ideia de qual personagem seria assassinado, mas a narrativa é tão envolvente, que fiquei na expectativa de descobrir como seria o crime e de quando ele iria acontecer.  

Novas pistas surgem no transcorrer das investigações e as suspeitas vão passando de um personagem a outro. Truque comum nos romances da autora. O final não foi tão maravilhoso, mas, ainda assim, conseguiu me surpreender. Minhas buscas estavam indo na direção contrária. É muito difícil descobrir quando Agatha Christie opta pelo óbvio ou pelo improvável.

* Publicado originalmente em 1930.



domingo, 21 de setembro de 2014

Só um final de semana...


Alguém vai me achar louco por causa disso. Ou não. Eu não sei. Acontece que eu necessitava de um final de semana como o que vou contar agora...

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Entrevista com Ricardo Ragazzo

Olá!

Prontos para mais um mergulho? Hoje, temos uma entrevista com o autor Ricardo Ragazzo, parceiro aqui do blog. Confiram!


Nome completo – Ricardo Ragazzo


Data de nascimento – 31/05/1975


Naturalidade – São Paulo


Grau de formação – Bacharel em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie / Pós-graduado em Marketing de Serviços pela FAAP


Profissão – Administrador / Escritor





domingo, 14 de setembro de 2014

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

#Resenha: "A garota das cicatrizes de fogo"


Título: A garota das cicatrizes de fogo

Autor: Ricardo Ragazzo

Ano de lançamento: 2013

Editora: Novo Século

Nº de páginas: 256