terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Bate o sino!

Vai, segura esse sino com vontade e sacode com força. Pede pra sair. Chuta logo a mesa, parceiro. Sem pedir licença. Sem pedir desculpas. Os ponteiros do relógio continuam trabalhando. O tempo é implacável. Por isso, amigo, não espere mais. Anota aí outro conselho de irmão: joga fora esse medo. Ele só te aprisiona. Procure achar o seu lugar no mundo. Aí não é o seu! Os teus sonhos são grandes. Permita-se! Corra atrás agora! Larga tudo e vai ser feliz, antes que seja tarde. Siga em frente. Enfrente!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Âncora

Outro dia eu me peguei pensando qual seria a minha âncora. Uma metáfora para descobrir o que me prende. O que me obriga a permanecer nessa zona tão longe do conforto que eu busco? Não sei. Os dias vão passando rapidamente enquanto eu fico cada vez mais... sei lá. Navegar é bom. O que fode é o medo de me lançar nas águas. A angústia toma conta de mim quando não sei para onde apontar e remar. Eu, homem de pouca fé. Meus ombros doem. Minha mente dói. Procuro respostas em travesseiros durante as noites em claro. Ao tentar me encontrar, sinto que me perco cada vez mais de mim. Eu quero mesmo é me sentir vivo e acreditar que meus esforços valeram a pena. Não posso carregar esse peso por mais tempo. Preciso me livrar dessa âncora que puxa minha autoestima para baixo e enche a minha cabeça de dúvidas. Não quero me arrepender das minhas escolhas lá na frente. Quero voar para bem longe, mesmo sem saber a direção. E para ontem, pois tenho pressa de ser feliz.


domingo, 5 de fevereiro de 2017